O PESADELO ACABOU
Subida da rampa por Lula encerra “bolsonarismo de quartel”
Por José Linhares Jr • 02/01/2023
Compartilhe
Posse de Lula não foi de todo ruim para a direita porque sepultou o que ela tem de mais tosco, insalubre e ignorante.

Nas últimas semanas a direita brasileira ganhou um novo matiz: o bolsonarismo de quartel. Por semanas milhares de brasileiros se aglomeraram na porta de bases do Exército clamando por um golpe militar que, após um banho de marketing político, era chamado de “intervenção constitucional”.

Entre os bordões principais estava: “o ladrão não sobe a rampa”.

Antes de mais nada, é bom fazer o recorte necessário. Nos primeiros dias as manifestações nas portas de quarteis eram esparsas enquanto movimento político organizado. Eram pessoas angustiadas pelo resultado de uma eleição em que o resultado contou com a influência decisiva da mídia e da justiça eleitoral. E basta ver a capa da Istoé para ter certeza disso…

Alexandre de Moraes é o primeiro presidente do Tribunal Superior Eleitoral a assumir protagonismo em uma eleição.

Ocorre que, com o passar do tempo, a união das pessoas nas portas de quarteis deixando propício o ambiente adequado para o que existe de pior na chamada “direita brasileira”: o bolsonarismo de quartel.

O “bolsonarismo de quartel” consiste na fantasia enquanto salvação. Por isso transformou golpe militar em “intervenção” e esperava que todo o resto do país acolhesse a ideia. O “bolsonarismo de quartel” repousa na ignorância nuances de autoridade intelectual. Sendo assim, queria dar aos mesmos militares que arruinaram o Brasil entre 1964 e 1985, que deixaram tudo pronto para 33 anos de hegemonia de esquerda na política nacional, o poder de salvar o país dessa mesma esquerda em 2022.

O “bolsonarismo de quartel” é esquizofrênico e vive da interpretação de sinais em copos de suco e tampas de garrafa.

E essa esquizofrenia, enquanto negação da realidade, deriva do fato de que o “bolsonarismo de quartel” não consegue perceber que a disputa política é eterna. Que haverá vitórias e derrotas no embate entre direita de esquerda desde que haja história. Não se pode apagar adversários com o apertar de botões.

O “bolsonarismo de quartel” acreditava no delírio de que as Forças Armadas iriam exorcizar o fantasma do comunismo para sempre.

E não é preciso ser muito inteligente para perceber a bobagem por trás disso.

O tempo foi passando, o clima ordeiro e cívico foi dando lugar a um pântano de desespero e angústia. Era mais do que evidente que a chamada “bigorna da realidade”, expressão popularizada pelo comunicador Emílio Zurita, iria recair sobre essas pessoas.

Lula não só iria tomar posse, como iria subir a rampa e, ainda no dia 1º de janeiro, começaria a governar o país. Então veio a viagem/fuga de Bolsonaro e o discurso desanimador de Hamilton Mourão.

A subida na rampa pelo presidente eleito encerra o “bolsonarismo de quartel”. E, quem diria, a subida na rampa por Lula encerra a face mais inútil, inocente e débil da direita brasileira.

Quem diria que a posse de Lula sirva como alicate para arrancar de dentro do peito da direita o tumor maligno chamado “bolsonarismo de quartel”.

Lula subiu a rampa e o “bolsonarismo de quartel” morreu de inanição.

Compartilhe
17/02/2024
PROJETO DE LEI
Deputada tenta acelerar PL que pune preconceito aos políticos
17/02/2024
MARANHÃO
Desemprego no MA atinge menor nível desde governo Roseana
17/02/2024
BENEFÍCIO
Foragido do CV recebeu auxílio emergencial mesmo quando preso

2 Comentários

  1. Adonias

    Pisaste na bola legal, blogueiro. Sua postagem foi incoerente, irrealista e superficial. Afirma categoricamente no texto que a eleição foi tomada descaradamente pela justiça e mídia e condena a indignação, mesmo que quixotesca, de certos grupos. Mesmo sabendo que não ia dar em nada, é um direito deles e foi maximizado pela mídia para minar ainda mais a direita. Nem todos ficam felizes quando passam a mão na sua bunda descaradamente. Se bolsonaro tivesse perdido de forma justa e incontestável, sem parcialidade do tse e mídia e tivesse o movimento, aí sim seria incongruente e intempestivo.
    E não dá para comparar a sistematização, organização e lavagem cerebral feita pela esquerda na população brasileira, onde se aprende a ser esquerdista desde as escolas primárias e hoje está impestado em todo setor público e nos grupos minoritários com o movimento da direita. Este desorganizado e na base da indignação, sem liderança e desejoso de um país melhor. A esquerda está comendo pela beirada há décadas e formou um exército de zumbis bem alocados que atendem seus interesses, sejam eles quais foram. O resultado dessas eleições nada mais foi o resultado desse aparelhamento e lobotomia.
    Felizmente a esquerda é terrivelmente incompetente e suja para governar e logo ficará evidente suas limitações e corrupção. Luladrão nem tem ideia do que fez o brasil crescer no governo dele (toda américa latrina cresceu) e acha que foi mérito dele. Agora é hora da verdade.

    Responder
    • José Linhares Jr

      Não condeno indignação, meu caro. Tanto que manifestei a minha. Condenei burrice e ignorância. Agora, se você acha que essas manifestações não atrasaram em meses a oposição contra o governo, você está errado. E se foi bom para Lula, para a direita só pode ter sido ruim.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda