E AGORA, FLÁVIO DINO?
Presidente do STF afirma que corrupção do PT não foi inocentada
Por José Linhares Jr • 13/06/2022
Compartilhe
O ministro Luiz Fux disse que as anulações de investigações foram formais e que “ninguém pode esquecer” o que houve no país.

Em evento que homenageou os 75 anos do Tribunal de Contas do Pará, o ministro e presidente do STF Luiz Fux destacou que as decisões judiciais que anularam processos da Operação Lava Jato foram tomadas por “questões formais” de condução jurídica, mas a de fato corrupção existiu.

De acordo com o magistrado do Supremo Tribunal Federal, “ninguém pode esquecer” que houve corrupção no Brasil, haja vista que as práticas desviaram dinheiro de escolas e da saúde.

“Ninguém pode esquecer que ocorreu no Brasil, no Mensalão, na Lava Jato […] Muito embora tenha havido uma anulação formal, das aqueles R$ 50 milhões das malas eram verdadeiros. Não eram notas americanas falsificadas. O gerente que trabalhava na Petrobras devolveu US$ 98 milhões e confessou, efetivamente, que tinha assim agido […] Cada ato de corrupção é um colégio que fica sem merenda para as crianças. Cada ato de corrupção é um hospital sem leito. Cada ato de corrupção é um lugar onde não há saneamento. E onde não há saneamento, não há saúde”, finalizou.

Compartilhe
15/02/2024
ESCÂNDALOS
PT tenta recuperar biografia de nomes marcados por corrupção
08/02/2024
DENÚNCIA
Paulo Velten inicia procedimento para apurar corrupção no TJMA
31/01/2024
OPERAÇÃO
Gaeco investiga servidor do MPMA por corrupção

2 Comentários

  1. Paulo Otávio.

    MAIS SURPREENDENTE AINDA, OU NÃO, É QUE PARTE DOS QUE SE DIZEM JORNALISTAS NO MARANHÃO , MAS SÃO MILITANTES DE EXTREMA ESQUERDA, AINDA DEFENDEM O STF.
    EM 2009 ÉROS GRAU TIROU O MANDATO DE JACKSON LAGO E ALGUNS DESSES ¨ EXTREMA ESQUERDA¨ DEFENDIAM RESISTIR A DECISÃO DE DENTRO DO PALÁCIO, SITIADOS. E AGORA ESSES MESMOS ALEGAM QUE O STF É IMPARCIAL E NÃO TEM PARTIDO !!!!

    Responder
  2. ???

    Lamentável. In Fux we don’t believe !

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda