CAPITAL
Donos de plano de saúde poupado na CPI da Covid-19 doam R$ 750 mil ao PT
Por José Linhares Jr • 29/06/2022
Compartilhe
Ano passado, a empresa entrou na mira da cúpula da polêmica CPI da Covid-19, mas logo em seguida foi misteriosamente poupada das investigações capitaneadas.

De acordo com a prestação de contas do Partido dos Trabalhadores (PT), publicada no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os donos do plano de saúde Hapvida doaram R$ 750.000,00 para o partido, em 2022. Ano passado, a empresa entrou na mira da cúpula da polêmica CPI da Covid-19, mas logo em seguida foi misteriosamente poupada das investigações capitaneadas.

De acordo com informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o grupo é responsável por uma das maiores quantias em doação direcionadas ao partido que estão registradas na Justiça Eleitoral neste ano.

Mediante as informações apresentadas, que foram cedidas pelo partido (PT), todas as doações foram feitas por 4 integrantes da família apenas nos meses de abril e maio. Tendo em vista que a legislação eleitoral veda as doações de recursos por parte de empresas para partidos ou candidatos, os valores foram direcionados como doações de pessoas físicas.

Os doadores foram: Jorge Pinheiro Koren de Lima, presidente da Hapvida; seu pai e fundador da empresa, integrante do Conselho de Administração, senhor Candido Pinheiro Koren de Lima, que doaram no mês de abril o valor de R$ 62.500; Ana Christina Fontoura Koren de Lima e Candido Koren de Lima Junior, cada um, com doações no valor de R$ 312,5 mil.

Compartilhe
17/02/2024
PROJETO DE LEI
Deputada tenta acelerar PL que pune preconceito aos políticos
17/02/2024
MARANHÃO
Desemprego no MA atinge menor nível desde governo Roseana
17/02/2024
BENEFÍCIO
Foragido do CV recebeu auxílio emergencial mesmo quando preso

1 Comentário

  1. Anônimo

    SEMPRE O PT!!! NÃO TEM PARTIDO MAIS CORRUPTO NO MUNDO !! OTOPATAMAR !!!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda